"4 DIETAS QUE O VÃO
AJUDAR A EMAGRECER"
 

JÁ TODOS, EM ALGUM MOMENTO DA VIDA, PESQUISÁMOS “A” DIETA
QUE PERMITISSE ELIMINAR OS QUILOS EXTRA NUM ÁPICE!
AS DIETAS VOLUMÉTRICA, FLEXITARIANA, VEGANA OU CRUA PODEM
SER BOAS ALIADAS NA PERDA DE PESO. MAS SEM ESQUECER
QUE UMA SOLUÇÃO DURADOURA ESTÁ QUASE SEMPRE
NA MUDANÇA DOS HÁBITOS DE VIDA.

 

 

 

“Corto nos hidratos de carbono ou na gordura?”, “Devo banir as sobremesas?”, “Os sumos detox é que me vão ajudar!”. Se o seu objetivo é perder peso, escolher a dieta certa e mais adequada para o seu caso não é simples e normalmente será mais bem sucedido com o aconselhamento de um nutricionista. Existem, contudo, dietas - que é como quem diz, estilos de vida - que pode adotar e que estão associadas a um peso mais equilibrado.
No site de referência U.S. News Best Diets, vários especialistas na área da saúde anali-sam diferentes dietas consoante parâmetros como a facilidade em adotá-la ou a sua segurança. Nós consultámos a versão mais recente deste ranking das melhores dietas para perder peso e, do top 10, selecionámos quatro. Conheça-as aqui e aprenda ainda cinco regras que deve adotar para manter bem longe (e de vez!) os quilos perdidos.


Dieta flexitariana
Esta é uma dieta que resulta do “casamento” de dois conceitos: flexível e vegetariano. O seu obje-tivo é usufruir dos benefícios do vegetarianismo sem abdicar da carne. Ou seja, os seus seguidores são vegetarianos na maior parte dos dias, mas, quando sentem mesmo vontade ou por quererem um equilíbrio entre ambas as dietas, podem comer carne e peixe.
Ao reforçar o consumo de fruta, legumes e cere-ais integrais e incluir tofu, leguminosas (como as lentilhas), frutos secos, sementes e ovos e cortar na carne, conseguirá fazer uma melhor gestão do peso, sentindo-se mais saciado. Estudos demonstram que, face a quem come carne, os vegetarianos tendem a ingerir menos calorias, pesar menos (cerca de 15%) e a ter um índice de massa corporal (IMC) mais baixo.








Dieta volumétrica

Na dieta volumétrica não existem alimentos proibi-dos, mas sim uma reorganização com base no seu perfil calórico:
1 Densidade muito baixa: fruta e legumes sem amido (um hidrato de carbono constituído sobretudo de glicose), como por exemplo, espargos, beterraba, cenoura, aipo, couve-flor, tomate, cereja, toranja, pêra, ameixa e maçã), leite magro e sopas de caldo.
2 Densidade baixa: fruta e legumes com pouco amido, cereais, cereais de pequeno-almoço, carne magra,  leguminosas e pratos com baixo teor de gordura.
3 Densidade média: carne, queijo, pizza, pão, ge-lado e bolo.
4 Densidade elevada: crackers, batatas fritas, cho-colates, bolachas, manteiga e óleo.
O objetivo desta dieta é fazer dos grupos 1 e 2 a base da alimentação, incluindo pequenas porções dos alimentos dos outros grupos. O primeiro passo consiste em apostar em alimentos ricos em água. As melhores opções passam pela sopa (80 a 95% de água), fruta e legumes (80 a 95%) e iogurte (75%).


Dieta crua
Embora existam múltiplas variações, a dieta crua envolve geralmente alimentos que não foram cozinhados, processados, aquecidos no microondas, geneticamente modificados ou expostos a pesticidas e herbicidas.
Cerca de 75 a 80% daquilo que os seguidores desta dieta - que raramente a seguem de forma exclusiva - comem são alimentos de origem vegetal (e, em alguns casos, também de origem animal, como leite não pasteurizado e alguns tipos de carne e peixe) que nunca são sujeitos a mais de cerca  de 46ºC. Isto porque creem que, acima desta temperatura, a confeção destrói muitos dos nutrientes.
Neste caso, a perda de peso ocorre porque, quem segue esta dieta, geralmente ingere apenas metade das calorias que iria consumir se adotasse uma dieta em que os alimentos são cozinhados.









Dieta vegana

Os veganos não incluem na sua alimentação qualquer tipo de alimento de origem animal. Aqui, fruta, legumes, cereais integrais, frutos secos, sementes e leguminosas são os prota-gonistas e, por dia, devem ser consumidas:
- 6 porções de cereais integrais
- 5 porções de leguminosas, frutos secos e ou-tras fontes de proteína, como manteiga de amendoim, grão, tofu, batata e leite de soja
- 4 porções de vegetais
- 2 porções de fruta
- 2 porções de gorduras  saudáveis, como óleo de sésamo, abacate e coco.
Os veganos tendem a ingerir menos calorias e a ter um peso e IMC mais baixos face a quem come carne. Este tipo de regime alimentar exige, contudo, alguns cuidados no sentido de evitar carências nutricionais, por exemplo, de cálcio, zinco, ferro, vitamina B12 e D, ácidos gordos ómega-3.





 

..........
 

AQUILO QUE COME INFLUENCIA O QUE PESA, MAS HA OUTROS
FATORES, COMO SER FISICAMENTE ATIVO DURANTE
O DIA A DIA, QUE SÃO FUNDAMENTAIS NA GESTÃO DO PESO. 


..........


5 regras-base para perder (e manter o) peso de forma saudável
Aquilo que come é muito importante na gestão do peso. Quanto a isso, não há dúvidas. Mas outros fatores, como a qualidade do sono, também podem influenciar o número que lhe aparece na balança.

1 Coma comida a sério
A base de uma dieta saudável deve ser sempre mais ou menos a mesma: proteína magra, vegetais, cereais integrais e fruta. É importante optar por alimentos saudáveis e o menos processados possível.

2 Mexa-se
Ser fisicamente ativo envolve muito mais do que ir ao ginásio. É também importante ser ativo durante o seu dia a dia, evitando comportamentos sedentários (que têm sido associados a um aumento do peso). Faça pelo menos 150 minutos semanais de atividade aeróbica moderada e treino de força duas vezes.

3 Dormir na dose certa…
Dormir pouco e problemas de peso estão muitas vezes de mãos dadas. O sono tem um papel importante na regulação do peso sobretudo porque dormir pouco pode aumentar a produção de grelina (hormona da fome). Tente dormir 7 a 9 horas por noite.

4 …e à hora certa
A hora a que nos deitamos também pode influenciar o peso. O nosso corpo foi concebido para estar acordado quando há luz natural (de dia) e para dormir quando está escuro (de noite). Quando não respeitamos este padrão, estamos a sabotar as funções do nosso cérebro associadas à gestão do peso, o que pode levar ao seu aumento. Mantenha os seus horários de deitar e de acordar consistentes.

5 Mantenha o stress longe
Todos nós já o sentimos. É verdade. Mas é muito importante que tomemos medidas - como a meditação - para evitar que este se torne num estado crónico. Isto porque pode levar ao aumento do peso, a um perímetro abdominal maior e a um IMC mais elevado.