"5 DICAS (SIMPLES!) PARA SER MAIS ECOLÓGICO FORA DE CASA"
 

ANDAR MAIS A PÉ, VIVER COM MENOS, DESLIGAR O COMPUTADOR
TODOS OS DIAS. EXISTEM VÁRIOS GESTOS QUE, EMBORA PAREÇAM
INSIGNIFICANTES, FAZEM A DIFERENÇA NA SAÚDE DO AMBIENTE.
E O MELHOR DE TUDO É QUE SÃO FÁCEIS DE COLOCAR EM PRÁTICA!

 

 

 

A sustentabilidade e as alterações climáticas são assuntos que estão na ordem do dia. E não é para menos. O nosso estilo de vida atual - o que comemos, como nos deslocamos, aquilo que compramos - tem muitas vezes um impacto negativo no planeta. É importante não esquecer que a nossa saúde reflete a saúde da Terra, quer pelo ar que respiramos, mais ou menos poluído, ou pelo peixe que consumimos e que pode estar contaminado com microplásticos. A boa notícia é que ser “mais verde” no dia a dia está ao alcance de todos e não exige mudanças radicais. E se todos contribuirmos um pouco, teremos um planeta mais sustentável.

Faça boas escolhas no escritório (e não só!)
Quando está a trabalhar pode adotar alguns gestos que vão ajudá-lo a viver em maior harmonia com o meio ambiente:
- Reduza o plástico, preferindo um copo ou garrafa de vidro para a água e tenha a sua própria chávena para o café ou chá. Sabia que, só em Portugal, se utilizam cerca de 259 milhões de copos de café descartáveis todos os anos?
- Poupe papel, imprimindo apenas aquilo que for estritamente necessário (em papel reciclado, claro) e, quando o conteúdo dessas impressões já não for necessário, reutilize essas folhas para rascunho.
- Se trabalha ao computador, ative o modo de economização de energia para que, sempre que não o está a utilizar, o aparelho consuma menos eletricidade. Ao final do dia, desligue sempre o computador.

Corte no plástico
Sabia que uma garrafa de plástico pode levar mais de 450 anos para se decompor? E que outros objetos deste material podem demorar até 1000 anos? Para reduzir o seu uso de plástico:
- Deixe de usar palhinhas ou substitua as de plástico por uma versão alternativa de metal, bambu, papel ou até massa. Estima-se que o uso anual de palhinhas só nos restaurantes portugueses seria o suficiente para dar a volta ao Planeta cinco vezes.
- Quando for às compras, dê preferência aos sacos reutilizáveis em detrimento dos de plástico de uso único - ter sempre na carteira sacos de pano que facilmente se dobram é uma solução prática.
- Evite as garrafas de água de plástico e opte pelas versões em metal ou vidro.
- Procure não comprar legumes e fruta embalados em plástico - optar por produtos a granel é uma boa alternativa.

Pense duas vezes (ou mais) antes de comprar
Todos os produtos que compramos - da camisola que é a última tendência da moda ao enlatado que juntámos ao carrinho do supermercado - têm uma pegada ecológica, seja pela forma como são produzidos ou pelas suas embalagens que acabam por ir parar aos aterros ou, pior, ao oceano. Sabia que a cada segundo o equivalente a um camião do lixo cheio de roupa é queimado ou depositado em aterros? Antes de comprar, questione-se “preciso mesmo disto?”. Se a resposta é sim, vá pelas escolhas mais ecológicas, que podem passar, por exemplo, por artigos em segunda mão; materiais de melhor qualidade, que, consequente, serão mais duradouros; e produtos locais.


..........
 

NÃO DEITE FORA TODAS AS EMBALAGENS DE PLÁSTICO
QUE TEM EM CASA, POIS ESSA SERIA UMA DECISÃO MUITO POUCO SUSTENTÁ-VEL. PROGRESSIVAMENTE, CONSOANTE
AS SUAS NECESSIDADES, VÁ COMPRANDO NOVAS EMBALAGENS
OU UTENSÍLIOS NOUTROS MATERIAIS QUE NÃO O PLÁSTICO.
 

..........


Ande mais a pé e menos de carro
Optar por caminhar ou andar de bicicleta - ou, quem sabe, até pelas trotinetas elétricas disponíveis em muitas cidades - não só vai reduzir a sua pegada de dióxido de carbono, como fazer maravilhas pela sua saúde - do coração ao peso. Se nenhuma destas hipóteses de aplica ao seu quotidiano, opte pelos transportes públicos ou pelo car sharing, seja com pessoas que conhece (por exemplo, colegas de trabalho) ou através de uma das várias plataformas que servem este propósito. Certifique-se também de que o seu carro está em bom estado - com o nível certo de ar nos pneus - e que anda devagar, reduzindo desta forma o gasto de combustível.

5. Na hora de viajar, procure alternativas ao avião
Pela elevada emissão de dióxido de carbono, um gás com efeitos muito nefastos para o ambiente, viajar de avião é um dos hábitos que mais danos lhe provoca: o transporte aéreo contribui com 4,9% das alterações climáticas provocadas pelo Homem. Para grandes distâncias, prefira, sempre que possível, o comboio, que produz cerca de metade do dióxido de carbono do avião. Contudo, se o avião é a sua única opção, existem algumas estratégias que podem reduzir o impacto que terá no ambiente:
- Prefira voos diretos em vez dos que têm escalas (o gasto de combustível é considera-velmente maior na descolagem e na aterragem).
- Faça umas férias mais longas em vez de duas menos duradouras, reduzindo o número de viagens de avião.
- Leve consigo apenas o essencial (reduz a carga do avião).
- Escolha compensar as suas emissões de dióxido de carbono (ao escolher esta opção é acrescentado um valor ao preço do seu voo que contribuirá para reduzir as emissões em países em desenvolvimento).