SOJA - A MENOS CONSENSUAL
DAS LEGUMINOSAS

 

PARTE DA NOSSA ALIMENTAÇÃO HÁ MILHARES DE ANOS, PRINCIPALMENTE
NA ÁSIA, OS BENEFÍCIOS DO CONSUMO DA SOJA NÃO SÃO CONSENSUAIS,
SOBRETUDO PARA AS MULHERES. MAS A VERDADE É QUE ESTA LEGUMINOSA
PODE SER UMA MAIS-VALIA PARA A SAÚDE FEMININA, SOBRETUDO DURANTE
O PERÍODO DA MENOPAUSA.


  • bg
 

 

Rica em nutrientes, como vitaminas do complexo B, fibra, potássio e magnésio, a soja pertence à família das leguminosas, tal como o feijão, grão ou lentilhas. Além disso, contém proteína completa, isto é, com todos os nove aminoácidos essenciais (os que temos de obter através da alimentação porque o nosso corpo não é capaz de produzir). Este vegetal é, por isso, muitas vezes incluído no prato como uma alternativa à carne, sendo muito consumido por vegetarianos e vegans.
Contudo, devido a um outro nutriente - as isoflavonas - tem gerado alguma incerteza quanto à sua segurança para as mulheres. Com estruturas semelhantes às do estrogénio (hormona sexual feminina), são também chamadas de fitoestrogénios e o seu efeito na mulher pode variar consoante vários fatores, como a idade. O tema é polémico e os estudos ainda estão a dar os primeiros passos e não permitem, por isso, opiniões consensuais. Ainda assim, há benefícios associados ao consumo de soja. Conheça-os aqui.

Amiga do coração, dos ossos e do intestino
Associada a níveis de colesterol mais saudável, incluir a soja na sua alimentação pode ajudá-lo a proteger-se de doenças cardíacas. Segundo alguns estudos indicam, a soja, quando ingerida regularmente, contribui para uma diminuição significativa dos níveis de colesterol total, triglicéridos e colesterol LDL (ou “mau” colesterol, que leva a gordura a acumular-se nas artérias). Por outro lado, ajuda a aumentar os níveis de colesterol bom (HDL).
Além disso, pelo seu teor de cálcio, torna os nossos ossos mais saudáveis e alguns estudos clínicos revelaram também que as suas isoflavonas têm um efeito positivo na renovação e densidade óssea em mulheres na pós-menopausa.
Foi ainda demonstrado que a soja pode ser benéfica para a nossa microbiota, aumentando a quantidade de bactérias boas presentes no nosso intestino.

 

........

Uma vez que, na menopausa, os estrogénios
estão diminuídos, comer soja ajuda a compensar este défice, sendo
uma alternativa mais natural à terapia
de reposição hormonal.


........


Na menopausa, pode ajudar
Para lidar com alguns sintomas que “atormentam” as mulheres na menopausa, como os afrontamentos, muitas recorrem à terapia de reposição hormonal. Apesar de muito eficaz, a longo prazo o seu uso pode estar associado a um aumento do risco de algumas doenças, como é o caso do cancro da mama. A soja poderá ser utilizada como uma alternativa mais natural a este tratamento: uma vez que, na menopausa, os estrogénios estão diminuídos, comer soja ajuda a compensar este défice.
Em países asiáticos com um forte consumo de soja, as mulheres apresentam menos sintomas associados a esta fase da sua vida. Contudo, não existe ainda um consenso científico sobre este efeito.

Relação entre as isoflavonas da soja e o cancro
Pela sua ação semelhante à do estrogénio (embora fraca), em tempos receou-se que o consumo das isoflavonas da soja (nutriente presente neste alimento) poderia aumentar o risco de cancros hormonodependentes, como é o caso do da mama, dos ovários e do endométrio, nas mulheres, e o da próstata, nos homens.
No entanto, vários estudos têm demonstrado que o fitoestrogénio pode ter um efeito protetor ou, no mínimo, neutro. Isto porque bloqueia o estrogénio mais potente que circula no nosso sangue e que, por exemplo, no cancro da mama estimula o crescimento e multiplicação de células cancerígenas.

Tipos de soja
Os alimentos da soja podem ser classificados entre fermentados - o que significa que foram cultivados, por exemplo, com bactérias benéficas ou leveduras, como o miso, tempeh ou molho de soja, melhorando a sua digestibilidade e absorção pelo organismo - e não fermentados, por exemplo, leite de soja e tofu. Se gosta de soja, o seu consumo será sempre mais saudável quanto menos processada esta leguminosa for. Por isso, opte por versões como tofu, tempeh, bebida de soja e edamame.